Notícia

Business Intelligence x Business Discovery: especialista explica a diferença


Business Intelligence x Business Discovery: especialista explica a diferença

Sócio da Produtiva fala sobre soluções eficientes para organizações e análise de dados como forma de gerar conhecimento.

Não é novidade que grandes empresas analisam o comportamento dos indivíduos na internet para oferecer produtos ou serviços. Dados são coletados para estruturar pesquisas e ações em diversos sites. Os resultados servirão de informação útil para definir novas estratégias de mercado.

Essa coleta e análise de dados é chamada de “Business Intelligence” - ou “Inteligência de Negócios”, em tradução livre. Esses dados vão se atualizando conforme novas ações são feitas pelos usuários. O cruzamento geralmente é realizado por uma equipe de TI, demandando tempo e profissionais qualificados para concretizar as estratégias.

“Nas últimas décadas, as instituições construíram e integraram sistemas que geraram enormes massas de dados. Transformar esses dados em informação útil e estratégica passou a ser o desafio das instituições”, afirma Pablo Coelho, sócio da Produtiva Ti, empresa especializada em Business Discovery. Para ele, o Business Intelligence - atualmente, método de trabalho de diversas empresas - vai ser substituído pelo Business Discovery. “No BI, dados coletados anteriormente são cruzados com dados novos, isso acaba gerando uma série de dados desatualizados acarretando em distorções ou interpretações potencialmente equivocadas”, ressalta.

Ainda de acordo com o empresário, o BI necessita uma grande equipe especializada, o que acarreta custos muito altos para as empresas. “A Produtiva TI já está trabalhando com o Business Discovery ou BD para nossos clientes de forma eficiente e já trazendo resultados”, diz Coelho.

Com ferramentas de BD, você consegue prever a integração prévia de todas as fontes de dados. “O trabalho de conexão e tradução dos dados é feito previamente, estando disponível quando necessário” explica o empresário. Com a utilização de ferramentas especialistas, o dado utilizado nos cruzamentos é tão atualizado quanto sua fonte. O administrador do sistema pode configurar sua taxa de atualização e assim não puxar informações desatualizadas.

A escolha de ferramentas de Business Discovery ao invés de ferramentas de Business Intelligence permite a utilização de conceitos como a “Busca Associativa”. “Este conceito, associado a outras características como a pesquisa ‘in Memory’, dispensa a construção prévia de consultas, permitindo ao usuário construir e compartilhar livremente suas próprias pesquisas, de forma rápida, fácil e intuitiva”, completa Coelho.